Instituto Confúcio inicia curso básico de mandarim

[row]
[column lg=”12″ md=”12″ sm=”12″ xs=”12″ ]

Instituto Confúcio inicia curso básico de mandarim

Instituto Confúcio inicia curso básico de mandarim

[/column]
[/row]

O Instituto Confúcio (IC) da Unicamp inicia nesta terça-feira (24) o curso de mandarim básico, que contará com três turmas de até 20 alunos cada uma. As aulas acontecerão uma vez por semana, no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL), sempre às terças, quartas e quintas-feiras, respectivamente no horário do almoço, tarde e noite. As inscrições ainda estão abertas e podem ser realizadas através da página da Escola de Extensão (Extecamp). O IC é o resultado de uma parceria entre a Universidade e a Beijing Jiaotong University (China).

De acordo com o professor Walter Belik, representante da Unicamp na direção do IC, o curso é dirigido tanto a alunos, professores e funcionários da Universidade quanto a integrantes da comunidade externa. “A única exigência é que os interessados tenham o segundo grau completo e apresentem a documentação necessária. Os membros da comunidade interna terão isenção de taxa e os demais pagarão R$ 160”, informa.

 

Belik destaca que esta é a primeira atividade do IC da Unicamp, que será inaugurado oficialmente no dia 22 de abril. Estão programadas para a data diversas atividades culturais, como apresentações da dança do leão, colóquio sobre comida tradicional chinesa e exibição de filme. Segundo a professora Hongyan Gao, representante da Beijing Jiaotong University na direção do IC, o objetivo do curso de mandarim é aproximar os brasileiros do idioma e, consequentemente, da cultura chinesa.

Ela explica que o curso terá três provas no semestre. Somente os que forem aprovados em todas as avaliações serão promovidos. As aulas, com duração de 1h30, serão ministradas pela professora chinesa Wang Li, que veio ao Brasil especialmente para participar do programa. Ela disse que sua primeira impressão do país foi muito positiva. “Passeei pelo campus e conversei com alguns estudantes. Achei que eles são muito inteligentes e cordiais”, conta.

Wang Li adianta que pretende conversar com os alunos do curso para saber quais são os interesses deles. “Esse será o ponto de partida das aulas, que serão orientadas também pelo material didático que adotamos. O objetivo é tornar o aprendizado dinâmico e atraente”, detalha. No módulo básico, os alunos aprenderão, entre outros conteúdos, a solicitar informações, a se apresentar a outras pessoas e quais são as variações de pronúncia.

A professora Hongyan Gao observa que o IC é uma plataforma de cooperação entre Brasil e China, que tem por objetivo a troca de experiências nas áreas de ciência, cultura e economia. Uma dos propósitos dessa parceria é promover a ida à China de brasileiros interessados em aprofundar os conhecimentos sobre o idioma e a cultura do país, bem como a vinda de chineses que querem igualmente saber mais sobre o Brasil, sua gente e seus hábitos.

O professor Belik ressaltou que a inauguração do IC na Unicamp é uma iniciativa muito importante para estreitar as relações entre Brasil e China em diversas áreas. Por ocasião da chegada da professora Hongyan Gao à Universidade, o reitor José Tadeu Jorge afirmou que “a instalação do Instituto Confúcio na Unicamp complementa e dá abrangência ao processo de internacionalização da Universidade”.

Deixe uma resposta